O início

É muito difícil estipular com precisão o início da minha paixão pelo mundo virtual. Lembro-me que ainda criança eu sempre quis ter um computador, na época, provavelmente pra jogar, eu não fazia a mínima ideia de que existia programação ou algo do tipo. Meu fascínio simplesmente existia, sem muitos motivos aparentes, e sem qualquer contato com um único computador.

Meus pais, por motivos não especificados, não realizaram meu desejos de ter um computador. Creio que, deve ser por motivos financeiros, já que, morávamos no Paraguai, e em meados dos anos 2000 não devia ser algo muito barato.

O primeiro contato real que tive com computadores foi num curso em que me inscrevi enquanto era criança. Nas primeiras aulas, claro eu fiquei super entusiasmado, como uma criança com um brinquedo novo que há muito queria. Eu era tão aplicado que eu gostava de chegar mais cedo só pra poder ajudar a montar os computadores e ter o prazer de ligá-los. Não me recordo do sistema operacional instalado, eu nem sabia do que se tratava, só me lembro de amar ter o contato que tive na época com o mundo virtual.

Após esse período, nos mudamos para o Brasil, onde eu, com 15 anos de idade, tive meu segundo contato com os computadores. O contato era meramente profissional, numa farmácia onde eu trabalhei como Office Boy. Os computadores usavam Windows 98 e um sistema em DOS para o gerenciamento da empresa, cheio de beeps como qualquer sistema DOS da época. Pelo fato de eu ter tido certo tempo livre entre um trabalho ou outro, e pelo movimento na farmácia não ser grande, eu tive a oportunidade de navegar pelo Windows 98, vasculhar as pastas, os programas da época, e o próprio sistema da farmácia.

A minha paixão pelas pequenas e não”poderosas” máquinas computacionais só aumentava. Após dois ou três anos trabalhando na farmácia, juntei uma grana e comprei meu próprio computador. Foi algo incrível, eu nem reparei na hora que o drive de CD/DVD não gravava, apenas lia. Mas eu estava feliz, muito feliz. Conquistar algo que eu tanto queria com meu próprio esforço foi indescritível. Quem sabe eu não ter ganho um computador quando criança tenha feito diferença depois de alguns anos, uma diferença positiva.

Então, eu estava com meu computador novo, e me deparei com algo novo: Linux. Eu não sabia do que se tratava, e eu ficava chateado pelo fato de ter dois ou três DVDs de enciclopédias guardados há anos que não abriam quando eu dava dois cliques no arquivo “exe”. Se eu não me engano, tratava-se do Kurumin, um Linux brasileiro que hoje já não é mais mantido.

Após certo tempo, me disseram que eu precisava instalar o Windows XP. Pensei, então tá, vou buscar alguém que faça isso. Procurei então uma loja de informática, onde me cobraram R$ 80,00 pra instalar o Windows XP, depois de muita demora (3 dias de muita espera), entregaram meu computador com o Windows XP instalado.

Após isso, foi só alegria, eu conheci o pacote Office, fiquei fascinado com o Pinball, com o próprio Windows XP e tudo mais. Eu estava maravilhado com o que eu havia conquistado até então. Após jogar muito C.S e Dota, e ter aprendido a formatar meu PC, tive meu primeiro contato com o que se pode chamar se programação. E essa parte em diante eu conto em outros capítulos 🙂

Obrigado pela leitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.