Um novo mundo livre

Às vezes criamos nossas próprias prisões.

E lá estava eu no meu novo emprego, onde eu tinha buscado ir, onde eu almejava estar, onde eu simplesmente queria estar. Eu me tornei então um técnico em informática, mesmo com o pouco conhecimento que eu tinha adquirido quebrando e concertando meu próprio computador (que formatei inúmeras vezes) e ganhando a metade do que eu ganhava no emprego anterior. Obviamente eu não tinha todo o conhecimento necessário para atuar na área, entretanto, foi uma escolha muito assertiva (tanto minha quanto a do meu novo patrão).

Posso dizer com toda propriedade que, o aprendizado vem muito facilmente com dois ingredientes muito básicos: Empenho e mão na massa! Se você é empenhado e gosta de aprender na prática, então não há limites para você. Eu na época não sabia exatamente o que era ser autodidata, provavelmente nem tinha ouvido falar no termo, mas eu já era assim, sempre fui assim. Sempre fui em busca do conhecimento conforme as necessidades iam aparecendo. E neste novo emprego não foi diferente.

Tão logo eu aprenderia que manipular as máquinas (peças e sistemas) era a parte fácil, e que a parte difícil que seria lidar com clientes! Não porque clientes são do mal, nada disto! Clientes são pessoas do bem que só buscam soluções para seus problemas querendo gastar o mínimo necessário. Nos meus anos de office boy na farmácia eu não tinha um contato tão direto com clientes, onde eu me limitava à uma entrega/cobrança, ou até mesmo uma venda simples. Neste novo cenário, eu lidava diretamente com os clientes! E se eu falhasse, era com eles que eu deveria conversar e assumir meus erros. Sério, essa era a parte mais assustadora!

Não sei como é hoje em dia esse ramo da manutenção de computadores, mas na época, lembro que essa profissão também tinha alguns percalços, como por exemplo um computador com o HD ruim que o cliente aceitou somente formatar para tentar resolver a questão da lentidão, onde depois de uma semana ele retorna bravo por não ter tido a solução do problema, difícil né?

Mas tudo bem, apesar dos percalços eu estava super feliz nessa minha nova jornada! A cada novo problema que se apresentava para mim, era uma nova e ótima oportunidade de aprendizado! Aprendi muito, muito mesmo atuando desta forma. Quando eu não entendia algo ou não tinha uma solução de pronto, eu buscava ajuda, seja de colegas ou até mesmo na internet. Hoje eu entendo que não existe problema difícil, o que existe é a falta de conhecimento. E que, a cada novo problema, surge uma nova oportunidade para se aprender algo novo para colocar no portfólio 🙂

Relembrando minha história para colocar em palavras neste blog eu percebo o quanto eu fui feliz na época, o quão entusiasmado eu ficava com coisas tão simples. Acho que nós vamos crescendo e passando a exigir de mais, o que torna a felicidade sempre distante, sempre intocável, como se nós tivéssemos que acordar todos os dias e sair correndo atrás dela para alcançá-la. Más, quando paramos para refletir sobre tudo o que já fizemos nessa pequena fração de tempo em que estamos vivos, notamos que já fizemos um amontoado de coisas, e talvez só nos falte resgatar algumas delas para curtir e esquecer um pouco o futuro.

O fato de eu ter decidido sair do meu emprego anterior, me trouxe inúmeros benefícios e ótimos frutos que estou colhendo atualmente! Algumas decisões são difíceis, porém, se você sente que é o correto, creio que deva seguir à diante e partir para novas aventuras! Nem sempre as coisas dão certo, mas sempre sobra muito aprendizado de qualquer nova aventura, isso eu garanto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.